OS MONSTROS. Textos e Pretextos Nº 8 Ver maior

OS MONSTROS. Textos e Pretextos Nº 8

Autores: Vários

Editora: Centro de Estudos Comparatistas

Edição: 1.ª (Primavera/Verão de 2006)

ISSN: 1645-6017

Páginas: 200

Livro manuseado como novo

  • Capas e lombada em bom estado
  • Forrado com película transparente
  • Sem sublinhados

Mais detalhes

Aviso: Últimos itens disponíveis!

5,00 €

Adicionar à Lista de desejos

Mais informação

Há cinco anos atrás, o filme Monsters Inc., realizado por Peter Doctor, invadia as salas de cinema, lotadas por um público muito jovem, ou nem tanto. A campanha de marketing mobilizou os consumidores que compraram, em grande escala, pequenas réplicas do monstro azul e felpudo, protagonista do filme. Na história, este monstro detinha o record de sustos de Monstropolis, uma cidade cuja energia era obtida a partir dos gritos das crianças. Todo os outros monstros visitavam o mundo através de portas especiais que comunicavam com os armários dos quartos dos miúdos. 

A este exemplo somam-se tantas outras personagens cinematográficas que fazem parte do nosso imaginário: Frankenstein, X-Men, Hannibal Lecter, o simpático Shrek ou uma extensa lista de seres mutantes da Marvel. Em Homero, Rabelais, Mary Shelley, Kafka, entre tantos outros, na Literatura, na BD, nas Artes Plásticas, no Teatro e na Dança, os monstros vão-se acumulando e permitem-nos quase falar de uma ‘monstruosidade banalizada’. E se foram inúmeros os monstros imaginários na Antiguidade, ou os monstros de uma memória colectiva – quem poderá esquecer o Adamastor? – somos ainda invadidos por outros tipos de monstros bem diferentes, por exemplo, em freak shows: anões e gigantes, homens-mosca, homens-rã, homens-porco, verdadeiras aberrações que questionam a nossa identidade e se transformam, elas próprias, numa identidade indefinida.

Hoje somos confundidos pela velocidade do que nos rodeia e que nos dá a sensação de estarmos quase sempre atrasados. Questionamo-nos por isso sobre o que é ser e ter um corpo e de que forma podemos afirmar a nossa singularidade. E nesta permanente busca os monstros encantam-nos e perturbam-nos.

Por que nos fascinam então tanto os monstros? E o que determina a definição de um monstro como tal? Um rosto sem boca? Quatro olhos em vez de dois? Uma função orgânica anormal? Ou será o monstro também aquele que, invariavelmente, nos habita e que tentamos a todo o custo adormecer?

Encontram-se, neste volume, várias tentativas de interpretação ou, pelo menos, de problematização desta questão – analisam-se fenómenos de hibridismo, outros de configuração, desconfiguração e reconfiguração de identidades. Monstros, demónios ou fantasmas, todos eles nos habitam. Abordagens diversificadas, onde o monstro, mais do que a supressão ou adição de elementos num corpo, contrasta com o corpo harmonioso e dificulta a nossa tentativa de conferir sentido às coisas. Talvez porque para afirmarmos a normalidade da raça humana ainda precisamos de dar existência ao seu contrário. Como disse Goya, “O sonho da razão produz monstros”.

Avaliações

--

Escrever uma avaliação

OS MONSTROS. Textos e Pretextos Nº 8

OS MONSTROS. Textos e Pretextos Nº 8

Autores: Vários

Editora: Centro de Estudos Comparatistas

Edição: 1.ª (Primavera/Verão de 2006)

ISSN: 1645-6017

Páginas: 200

Livro manuseado como novo

  • Capas e lombada em bom estado
  • Forrado com película transparente
  • Sem sublinhados

Escrever uma avaliação

30 outros produtos na mesma categoria